Requiem æternam

Texto do confrade Karlos Guedes:

finados 3Requiem æternam dona eis, Domine.

É assim que se inicia a Sagrada Liturgia do rito gregoriano. E é assim que gostaria de iniciar minhas postagens!

Depois que a Santa Igreja comemora todos os Santos de Deus, ou seja, a Igreja Triunfante, ela achou por bem agora comemorar a Igreja que padece. Mui feliz é a figura acima, que orna o folheto do próprio da Missa que preparamos aqui em Recife. Ela nos mostra as almas sedentas por Deus, nosso Senhor, e que, segundo as disposições próprias conseguem exaurir essa aridez na Santa Missa. Claro que toda a Santa Missa obriga a Deus a derramar suas graças de misericórdia (não apenas sobre os irmãos no purgatório, mas em todo o mundo), contudo neste dia de hoje, toda a Sagrada Liturgia eclesiástica se volta a esse fim.

Sim, Senhor, dai-lhes o descanso. Já se cansam em sofrer para espiar as penas temporais devido aos pecados. O Cânon da Missa nos diz como se dará esse alívio: «a todos os que em Cristo repousam, o lugar de refrigério, de luz e de paz, prestai indulgente, deprecamos. Pelo mesmo Cristo Senhor nosso. Amém» (Oração Ipsis, Domine). Rezemos àqueles que repousaram no Cristo, pois os que, infelizmente, não o fizeram não podem receber a úbere misericórdia de nosso Deus.

Portanto, Senhor, prestai a essas almas, a esses nossos irmãos, o lugar de refrigério, luz e paz, que nada mais é que está a vosso lado, na glória celeste, fim a que todos almejamos!

Et lux perpetua luceat eis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s