Devemos representar Deus Pai?

Tradução e adaptação de um texto de David Clayton publicado no New Liturgical Movement:

Uma das obras artísticas mais famosas do mundo é o afresco de Michelangelo na Capela Sistina no qual Deus dá a centelha da vida a Adão. Apesar de sua popularidade e familiaridade, muitas vezes me perguntei sobre a validade de representar Deus Pai.

Meus próprios instintos vão contra a ideia de retratar Deus Pai numa pintura; mesmo quando criança, sempre achei que o Deus de bigode branco parecia mais com “Deus Avô” do que com o Deus Pai. Mais tarde, isso foi reforçado pelo treinamento que recebi na pintura de ícones. Eu tinha como certo de que isso não fazia parte da tradição. Nunca pintei um ícone de Deus Pai. Além disso, a teologia de São Teodoro Estudita, em relação às imagens sagradas, que é aceita tanto pelas igrejas orientais como pelas ocidentais, baseia o argumento da criação de qualquer arte figurativa no fato de podermos retratar a pessoa de Cristo como homem. A pessoa de Deus Pai é um ser espiritual e isso parece sugerir que não devemos retratá-lo como um homem. Continuar lendo

Imagens veladas

Tradicionalmente neste domingo, o Quinto da Quaresma no rito paulino e o I da Paixão no rito gregoriano, as imagens das igrejas são encobertas (veladas) por um pano roxo. Em alguns lugares isso ocorre só no Domingo de Ramos ou mesmo na Sexta-Feira Santa, em outros desde a Quarta-Feira de Cinzas. O que vocês presenciaram hoje:

 

Obras Católicas começa a publicar livros

O site Obras Católicas, surgido no tempo do saudoso Orkut por iniciativa de confrades da comunidade Apologética Católica (em especial do Eduardo e do Paulo Frade), se tornou um marco na história da Igreja no Brasil, pois colocou em circulação os tesouros que a crise pós-conciliar e a falta de memória de nosso povo tinham enterrado nas décadas 70, 80 e 90. Nele, aqueles livros que garimpávamos com muita sorte nos sebos se tornaram acessíveis a qualquer pessoa com acesso à internet; lembro que anos atrás conheci um padre que tinha estudado no Paraguai e que me contou que nos seus tempos de seminário o acervo do Obras Católicas era mais usado que a biblioteca da instituição.

Então, é com grande alegria que compartilho com os leitores uma nova iniciativa do Obras: a publicação de livros. E primeiro já foi lançado, são as Instruções Marianas, do Pe Gabriel Maria Roschini, O. S. M.

O Pe. Gabriel Maria Roschini, sacerdote da Ordem dos Servos de Maria (+1977), foi um dos mais importantes mariólogos do século XX e fundador da Faculdade Teológica Marianum, em Roma. Continuar lendo