Posts Recentes

O valor do preto como cor litúrgica

Tradução e adaptação de um texto de Shawn Tribe:

Nas últimas décadas, ouviu-se muito na Igreja que o uso do preto como cor litúrgica seria algo contrário à esperança cristã na ressurreição dos mortos. Por isso, vários agitadores fizeram o possível para extirpar essa cor das missas de finados ou de outros ofícios litúrgicos relacionados aos mortos. Como resposta, eu poderia dizer que esse não é o caso de valorizar “um ou outro”, mas de “ambos”. Vou explicar melhor: mesmo os cristãos sendo de fato um povo cheio da esperança gestada na ressurreição, isso não invalida a resposta emocional natural representada pela tristeza do luto,  nem o fato de que estamos igualmente conscientes da realidade do pecado, morte e julgamento. Tal consciência e reserva é simplesmente isso, uma consciência e reserva que brota do reconhecimento de uma genuína realidade espiritual, e não pode ser equiparada à falta de esperança ou a uma esperança insuficiente na ressurreição dos mortos. Não dar reconhecimento adequado a essas realidades é um problema.
Continuar lendo

  1. Ordo 2019 Deixe uma resposta
  2. Vestição do Bispo na Missa do Galo Deixe uma resposta
  3. Idade Média, Idade da Luz: como a catedral de Colônia era iluminada antes da eletricidade Deixe uma resposta
  4. Antes de Bergoglio: João Paulo II, Assis e a Missa Nova Deixe uma resposta
  5. Loreto: Milagre e Mistério Deixe uma resposta
  6. A necessidade da beleza na liturgia segundo o Cardeal Slipyi Deixe uma resposta
  7. O que Igreja pensa dos métodos orientais de meditação? Deixe uma resposta