Como o cristão de hoje deve se mortificar?

A mortificação é um elemento tão necessário à vida cristã, que quem não quiser renunciar a si mesmo jamais poderá ser santo. Mas quais são, no fim das contas, as formas de mortificação mais adequadas para os dias de hoje? Será que todo cristão está sempre obrigado a fazer longuíssimos jejuns, ficar sem dormir e ferir a própria carne com cilício ou coisas parecidas?

Nesta novo vídeo, Padre Paulo Ricardo nos dá uma lição preciosa, à luz da doutrina de São João da Cruz e Santa Teresinha do Menino Jesus, acerca da melhor maneira de se mortificar nestes tempos em que nos tocou viver.

Santo Inácio: o desentortador de vidas

“O homem é criado para louvar, prestar reverência e servir a Deus nosso Senhor e, mediante isto, salvar a sua alma; e as outras coisas sobre a face da terra são criadas para o homem, para que o ajudem a conseguir o fim para que é criado.”

Nesta aula, Padre Paulo Ricardo propõe uma reflexão sobre o famoso “princípio e fundamento” dos “Exercícios Espirituais”, de Santo Inácio de Loyola. Se você quer desentortar a sua vida, não basta fazer a coisa certa! É necessário fazer a coisa certa… pela razão certa!

O silêncio de José

Vale a pena examinar um pouco a vida de São José. A Bíblia nada fala sobre ele, nem sequer cita uma palavra dita por ele. De Maria sabe-se mais, podemos até decorar o Magníficat; mas de José não há nada! De Maria nós conhecemos o diálogo que teve com o anjo: este falava e ela respondia… Foi até elogiada por Gabriel! A Bíblia menciona José apenas para dizer que um anjo o abordava em sonho para dar-lhe alguma ordem. E ele obedecia (Cf. Mt 1,20; 2,13.19-22).

Que terá feito José na vida? Nada sabemos! Não existe nenhum registro, nenhum documento… Nem mesmo uma cadeira que se possa dizer ter sido fabricada por ele. Beseleel era um carpinteiro que ficou famoso por ter feito a Arca da Aliança. Isto está registrado na Bíblia (Cf. Ex 31,1-11). Mas José fez o quê, como carpinteiro? Desconhecemos.

Por que, então, José é santo, se aparentemente não fez nada, não disse nada, não perguntou nada? E é o santo predileto de inúmeras pessoas! Santa Teresa de Jesus considerava-o o santo de sua predileção.

Continuar lendo