Missão da FSSPX na África Ocidental

A África Ocidental (especificamente a Nigéria, o Benin e Gana) perfaz uma vasta região invadida pelo islã e gangrenada pela corrupção, na qual muitas almas, decepcionadas pelos discursos humanistas do clero local, encontram-se cada vez mais atraídas pela tradição católica. O seguinte documentário retrata um pouco desse cenário cheio de desafios, mas com um potencial incomum:

Terra plana e cabeça oca

A realidade sempre tem o poder de nos surpreender, muitas vezes para pior. Pois bem, no ano passado tive aula numa disciplina eletiva num curso diferente do meu, o de filosofia (era a disciplina de filosofia da arte), e certo dia, conversando com alguns colegas, fui surpreendido pela pergunta de um deles que, ao saber que eu e mais um outro estudávamos geografia, me questionou sobre a esfericidade da Terra. De início achei que tinha entendido errado, até porque a pergunta vinha de alguém que reputo bem inteligente, mas ele explicou que sua pergunta tinha relação com alguns vídeos que estavam rolando na internet onde se questionava a “Terra redonda”, relacionando isso com teorias conspiratórias (“se a Terra é redonda, por que a figura que aparece no símbolo da ONU não é assim?”). Vi logo que se tratava de mais uma onda de maluquices, expliquei a ele sobre a projeção azimutal e sobre o “desaparecimento” dos navios em alto mar por causa da curvatura do planeta. Não procurei saber mais nada sobre essa onda, até por falta de tempo.

Nas últimas semanas, contudo, venho sendo surpreendido pela indicação no YouTube de vários vídeos com a defesa da “Terra plana”, ou seja, o delírio cresceu… ele tomou corpo no meio neopentecostal, no qual cegos que guiam cegos acreditam que estão mais “conservadores” ao serem obscurantistas (qualquer semelhança com certos católicos tradicionalistas e neconservadores não é mera coincidência). Sem tempo e saco de ver essas porcarias, fui salvo por dois vídeos do Conde sobre o tema, que compartilho abaixo:

Fim do Acies Ordinata?

Nota

Parece que o blog Acies Ordinata, que era o mais prolífico site sedevacantista brasileiro – embora que de um sedevacantismo bem específico – acabou. Uma pena, pois, apesar das claras discordâncias com seu autor, tenho de reconhecer que existiam muitos textos bons, quiçá essenciais, nele.

E das Trevas surge a Luz

Como um padre evitou a extinção de uma das mais belas paróquias de Chicago e com isso revitalizou o centro da cidade.

Em muitas das grandes cidades há o total abandono do seu centro, o que tem como consequência a criação de pontos de venda de drogas e prostituição.

Até aí nada além do esperado para a sociedade que trocou a busca de Deus pela busca do “divino” e “espiritual” (não existe nada menos concreto que essa ideia) com o intuito de justificar sua inércia espiritual.

Mas, no centro de Chicago, uma das cidades mais populosas dos Estados Unidos, surge uma comunidade que mudou o rumo local.

Trata-se da Paróquia de Saint Jonh Cantius, de origem polonesa, desenhada em 1898 por Adolphus Druiding e terminada 5 anos depois. A Igreja é um dos melhores exemplos de beleza arquitetônica na cidade de Chicago. Seu belo interior barroco permaneceu intacto por mais de um século e é conhecido pela sua opulência e grandeza, herança da suntuosa arte e arquitetura polonesa do século XVIII. A imponente torre de quase 40 metros de altura é facilmente vista nas proximidades.

cantius-church-chicago-sunset

Em 1988, o Pe. Frank Fillips foi enviado por seus superiores para uma tarefa que nenhum pároco em sã consciência deseja: fechar as portas da sua freguesia.

Os descendentes poloneses haviam sumido, os prédios locais estavam degradados, não havia moradores na região e as empresas tinham desaparecido.

O Pe. Frank Fillips pensou consigo que poderia voltar a atrair pessoas se encorajasse os paroquianos a aprender o Ofício Divino e participar dos cânticos latinos da Igreja, fazendo da Matriz um lugar onde os fiéis podem participar de uma liturgia reverente e acompanhada de uma bela música.

Com a volta da reverência litúrgica a comunidade cresceu ao ponto que pôde financiar o Pe. Frank para a restauração da Igreja Matriz em 2012. E de um aspecto sujo, a Igreja voltou à sua bela condição original.

Três coros litúrgicos foram criados: um especializado em canto gregoriano, o outro em Polifonia Vieniense e um terceiro em Polifonia Renascentista (algo impensável até então). Também foram criadas turmas regulares de latim e grego para introduzir os fiéis às línguas universais da Igreja, catequese e passou a se realizar no local eventos culturais católicos.

A empreitada recebeu forte apoio da Arquidiocese local. O Bispo Auxiliar D. Joseph Perry (um exímio defensor do latim na liturgia) deu apoio integral ao Pe. Frank.

Com total crescimento, o Pe. Frank recebeu autorização do Cardeal George, em 1998, para criar a Sociedade dos Cônegos Regulares de Saint John Cantius, uma associação de sacerdotes que trabalham para a restauração da beleza na liturgia católica. Eles celebram o Rito Romano na forma Ordinária (tanto em latim como em inglês) e na forma Extraordinária.

Assim feito, o bairro em torno da Paróquia de Saint Jonh Cantius agora é um lugar moderno de se viver. Tornou-se um lugar que pôde vivenciar a renascença urbana. A Igreja até mesmo abriu um café para atender seus vizinhos.

Esse é um exemplo que a partir da organização da comunidade, com a perseverança e liderança do pároco é possível reconquistar os fiéis e até mesmo conquistar os infiéis.

Da mesma forma que a Igreja recolheu os cacos da Antiguidade e sobre isso criou a mais bela e esplendorosa Civilização, também agora nós recolheremos os cacos da Modernidade e criaremos outra ainda maior.

Aqui temos um belo vídeo que mostra mais detalhes e imagens da história que acabei de contar: