Pe. Heinrich Maier: um martir da luta contra o nazismo

A história do Pe. Heinrich Maier, uma das últimas vítimas do nazismo em Viena:

Após a guerra, a biografia dele ficou como que “escondida”, pois além de ter agido contra as ordens dos superiores, o que a tornava incômoda do ponto de vista eclesiológico, ele era monarquista, e, por pressão de Stalin, essa posição política virou um tabu na Áustria.

O que está por trás do protestantismo?

Este vídeo nos apresenta uma conferência de Frei Tiago de São José a respeito da Páscoa Cristã e suas consequências.

De fato, aqui, ele demonstra muito claramente que, a partir do momento da Ressurreição, Jesus Cristo constitui a sua Igreja, dando autoridade para os seus Apóstolos e instituindo os sacramentos que têm a sua eficácia no Sacrifício da Cruz. Continuar lendo

500 anos da excomunhão de Martinho Lutero

the-devil-eduard-schoenO Veritatis lembrou-me hoje que a 3 de janeiro de 1521 o Papa Leão X excomungava o heresiarca Martinho Lutero, a quem o poeta português Garcia de Resende dedicou estes justíssimos versos (in «Miscelânea», 1554 – póstumo):

Com heresias e manha
Vimos o falso Lutero
Converter em Alemanha
Tanta gente, que é façanha
Na maior força do império:
Contra nossa fé pregando,
E do Papa blasfemando,
Dos Bispos, dos Cardeais,
Venceu batalhas campais
A grande gente do seu bando.

Com sua língua maligna,
E preceitos desonestos,
Semeia sua doutrina
Cheia de luxúria indigna
E vergonhosos incestos:
O que mais deve doer,
É que vemos estender
Este veneno a mais terras
E com pestíferas guerras
Tarda remédio poer.

E a quem o Papa eleito considera um “reformador, que tinha boas intenções”…

Cristianização das festas pagãs

Essa sequência no Twitter nos mostra que a chamada cristianização das festas pagãs foi algo bem mais complexo do que se pensa:

Without getting into the ins and outs of the ‘Is Christmas pagan?’ debate, it’s worth dealing with some faulty assumptions people often make about the ‘Christianisation’ of pre-Christian traditions (buckle up for the thread…)

First of all, language people use in this area can be quite emotive, e.g. talk of Christians ‘usurping’ or ‘sanitising’ a pre-existing pagan festival. There’s a tendency to ascribe a collective agency that never existed to ‘the Church’ or ‘Christians’ when it comes to Midwinter

Continuar lendo