A liturgia cartusiana antes das "reformas"

Texto que traduzi da Enciclopédia Católica de 1967 sobre o rito cartuxo antes das “reformas” que se seguiram ao Vaticano II:

CartuxosOrigens e história

Parece certo que a influência predominante ou exclusiva na formação da liturgia cartusiana foi a do rito da Sé Primaz de Lion, da qual Grenoble era sufragânea. Isso é verdade para a Missa e, em grande parte, para o Ofício, pois, nesse último caso, a ordem da salmodia (que governa a forma das Horas) acabou por seguir a da Regra de São Bento (para as outras partes variáveis do Ofício, o Antifonário de Lion serviu de referência).

Há evidência consideráveis para essas afirmações. Um dos manuscritos cartusianos mais antigos (MS33 da Cartuxa de São Hugo, Parkminster, Inglaterra) mostra que a oitava de Pentecostes era celebrada com a Missa da festa, ou seja, a série de missas dos domingos após Pentecostes está um domingo atrás da do rito romano; a última da série é Si iniquitates ao invés de Dicit Dominus. Isso, o versículo Pone, Domine, custodiam ori mea, recitado após o Confiteor na Missa, e a oração na mistura do vinho e da água (De latere, etc.) são as características comuns do antigo rito cartuxo e o de Lion. Influências similares podem ser notadas no Antifonário. Guido I, o quinto prior da Cartuxa, que compilou os dois livros, seguiu o princípio advogado por Agobardo, Arcebispo de Lion (+ 840), de que apenas as Escrituras e os sermões dos Padres poderiam ser usados no Ofício e na Missa. Como conseqüência, as “composições eclesiásticas” foram excluídas do rito: a Missa dos defuntos tinha como Intróito Respice em lugar de Requiem, e muitas outras partes bem conhecidas não acharam lugar. Embora mais tarde algumas composições não escriturísticas tenham tido espaço no Missal e Ofício, os cartuxos sempre foram conservadores neste ponto; não há um segundo noturno de lições “históricas” no Ofício cartusiano. O Hinos são permitidos no Ofício embora em Lion eles não existissem até uma data avançada. O trabalho pode ser encontrado na Consuetudines Cartusiae; os sucessores de Guido instituíram adendos aos capítulos gerais numa coleção chamada de Statuta Antiqua (1222), que permaneceram vigentes até 1582 quando a reforma do rito produziu o Ordinarium. Todavia, poucas modificações concretas foram feitas no rito. Mesmo hoje a liturgia cartusiana é em boa parte a que foi codificada por Guido.

Missa

O celebrante de uma Missa solene é assistido por um diácono (não há subdiácono). A Missa começa ao pé dos degraus do lado do Evangelho onde o celebrante canta o versículo Pone, Domine, etc. ao qual o coro responde, e segue o Confiteor (uma forma abreviada). Intróito, Kyrie e Glória são recitados pelo celebrante enquanto são cantados pelo coro; após a Coleta ele se senta do lado da Epístola e ouve a Epístola cantada por um monge do coro; neste meio tempo o diácono prepara as ofertas. Imediatamente após o Evangelho (ou Credo) o celebrante lava suas mãos e recebe a patena e o cálice do diácono. Enquanto a água é posta no cálice, o celebrante diz De latere Domini nostri Jesu Christi exivit sanguis et aqua, in nomine Patris, etc. A patena e o cálice são oferecidos simultaneamente com a oração In spiritu humilitatis. O sacerdote, então, lava suas mãos novamente. Enquanto isso o diácono incensa o altar, andando ao redor dele e movimentando o turíbulo. Durante o Cânon o celebrante deixa seus braços em forma de cruz, menos quando não tem de fazer algum ato manual. A paz é dada por meio de um instrumento. O diácono comunga com o padre nos domingos e em certas festas. Tendo bebido as abluções o celebrante deixa o cálice para o diácono purificá-lo e vai para o lado da Epístola cantar a  Complendae (a oração de pós Comunhão). Não há bênção ou Placeat. A bênção das velas, cinzas e palmas ocorre após as orações preparatórias ao pé do altar, mas os cartuxos não têm procissões litúrgicas.

Ofício

O Ofício dos cartuxos segue o padrão do Breviário monástico, mas as lições das Matinas são muito longas pelos critérios modernos (por exemplo, dois ou três capítulos de um livro das Escrituras perfazem as três lições de uma noite ferial). Todas as Horas diurnas são concluídas com longas preces feriais antes da Coleta. O Breviário Cartusiano, usado apenas pelos que estão impossibilitados de ir ao coro, contém pequenas lições como no Breviário romano contemporâneo. Simplicidade e sobriedade são as principais características da liturgia dos cartuxos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s