Estrutura do Ofício Parvo

Dando continuidade à série de postagens sobre o Ofício Parvo, vou agora apresentar uma sistematização da organização dele:

Ofícios:

Existem três Ofícios:

  • O Primeiro, recitado a partir das Matinas do dia 3 de fevereiro até as Vésperas do sábado antes do 1° Domingo do Advento exclusive, com exceção da festa da Anunciação da Santíssima Virgem, na qual se reza o Ofício do Advento;
  • O Segundo, recitado desde as Vésperas do sábado anterior ao 1° Domingo do Advento até as Vésperas do Natal, exclusivamente, e nas Vésperas da festa da Anunciação de Nossa Senhora;
  • O Terceiro, reza-se desde as Vésperas da Vigília do Natal até as Completas do dia 2 de fevereiro inclusive.

Orações antes e depois:

Opcionalmente, pode-se rezar antes do Ofício, a oração Abri, Senhor, e após ele, a oração  à Santíssima e Indivisível Trindade, um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Horas:

Matinas:

  1. Ave Maria, seguida de Responsório, com dois versículos e duas respostas. Glória ao Pai e Aleluia (ou Louvado sejais, Senhor);
  2. Invitatório, seguido do Salmo XCIV;
  3. Hino;
  4. Um dos três Noturnos de acordo com o dia da semana. Cada Noturno consiste de três salmos, com suas respectivas antífonas;
  5. Versículo e Resposta, seguido do Pai Nosso e da Absolvição;
  6. As três Lições, cada uma precedida pela Benção e seguida pelo Responsório, com Versículo e Resposta. O Te Deum pode seguir a terceira Lição, substituindo o Responsório; ele também pode seguir a segunda Lição, mas se diz após o Responsório dessa e, nesse caso, a ele acrescenta-se Responsório e Benção.

Laudes:

  1. Ave Maria (omite-se quando as Laudes são rezadas imediatamente após as Matinas [1]) , Versículo e Resposta, Glória ao Pai (ou Louvado sejais, Senhor);
  2. Três salmos com suas respectivas antífonas;
  3. Cântico dos Três Mancebos, com antífona;
  4. Salmo CXLVIII, com antífona;
  5. Capítula;
  6. Hino, seguido de Versículo e Resposta;
  7. Cântico de Zacarias, com antífona;
  8. Kyrie, seguido de Versículo e Resposta;
  9. Oração, seguida pelos versículos conclusivos e suas respostas. Entre a Oração e os versículos conclusivos, pode-se fazer a Comemoração dos Santos.

Prima, Terça, Sexta a Noa:

  1. Ave Maria, Versículo e Resposta, Glória ao Pai (ou Louvado sejais, Senhor);
  2. Hino;
  3. Três salmos, com antífona;
  4. Capítula, seguido de Versículo e Resposta;
  5. Kyrie, seguido de Versículo e Resposta
  6. Oração, seguida por três versículos e três respostas.

Vésperas:

  1. Ave Maria, Versículo e Resposta, Glória ao Pai (ou Louvado sejais, Senhor);
  2. Cinco salmos, com antífonas;
  3. Capítula
  4. Hino, com Versículo e Resposta;
  5. Magnificat, com antífona;
  6. Kyrie, seguido de Versículo e Resposta;
  7. Oração, seguida pelos versículos conclusivos e suas respostas. Entre a Oração e os versículos conclusivos, pode-se fazer a Comemoração dos Santos.

Completas:

  1. Ave Maria, Convertei-nos e Resposta, Versículo e Resposta, Glória ao Pai (ou Louvado sejais, Senhor);
  2. Três salmos, sem antífonas [2];
  3. Hino;
  4. Capítula, com Versículo e Resposta;
  5. Cântico de Simeão, com antífona;
  6. Kyrie, seguido de Versículo e Resposta;
  7. Oração conclusiva, com dois versículos e duas respostas. Benção;
  8. Antífonas marianas de acordo com o tempo litúrgico (seguidas, nas rubricas de São Pio X, do Pai Nosso, da Ave Maria e do Credo Apostólico, sempre em voz submissa).

No final de cada Hora, nas rubricas de São Pio X,  quando não se reza a posterior, faz-se o seguinte:

  • Pai Nosso, em secreto;
  • V – O Senhor nos dê a sua paz;
  • R – E a vida eterna. Amém.
  • A Antífona de Nossa Senhora segundo o tempo, que estão após as Completas;
  • V – O divino auxílio permaneça conosco para sempre;
  • R – Assim seja.

Notas:

[1] – Essa é a maneira mais tradicional, similar ao que ocorre no rito Ambrosiano, pois no início as Matinas e as Laudes constituíam um único “momento” do Ofício Divino.

[2] – As antífonas também são omitidas na prática tradicional beneditina, o que só atesta, mais uma vez, a antiguidade do Ofício Parvo.

2 respostas em “Estrutura do Ofício Parvo

  1. Tradicionalmente, no Ofício Parvo, as Matinas e as Laudes de meia noite e a Prima ao amanhecer. Mas como se passou a separar as Matinas das Laudes, seguindo o esquema do Breviário Romano, então eu poderia dizer que as Matinas devem ser rezadas na madrugada, as Laudes as cinco da manhã e a Prima as sete. Também é possível rezar em outras horas que lhe sejam mais convenientes, por exemplo, tomando as Laudes como oração do acordar, seja que horas da manhã for.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s