Lógica esquerdopata

No meio dos “debates” e da “sensibilização afetada” que se seguiu à publicação das fotos em que o primeiro-ministro esquerda caviar do Canadá, Jacques Trudeau, usava uma black face, pude juntar algumas frases que revelam a completa falta de senso crítico dos adeptos do mi-mi-mi mental:

Brancos são opressores,

Os não brancos são vítimas,

Mas raça não existe,

Mas eu amo a diversidade racial,

E celebro todas as nossas diferenças,

Porque somos todos iguais.

A marcha da tirania

“Ser de esquerda, como ser de direita, é uma das infinitas maneiras que o homem pode escolher para ser um imbecil: ambas, na verdade, são formas de hemiplegia moral…”

José Ortega y Gasset in prólogo à edição francesa de «A Rebelião das Massas», 1937.

A Revolução alastrou…

“Revolução alastrou. A Democracia estendeu raízes, deitou ramos, deitou folhas, deitou flor, deitou fruto. Expressão do Mal, Ordem contrária à Ordem Divina, destruiu altares, abateu tronos; democratizou os Reis; transformou-os em chancelas inertes, primeiro passo para correr com eles; e empurrou Deus para os esconsos das nossas consciências, onde não chega a luz nem o ar, considerando sob o mesmo pé de igualdade, seitas heréticas, a perfídia judaica e a Igreja Católica!

E a onda vai galgando tudo, e desfazendo tudo, e desfazendo os mais fortes obstáculos. E perante o panorama demoníaco que o mundo nos oferece, em consequência do impulso tomado pela Revolução, não se quis ouvir a voz de Pio VI, de Pio VII, de Gregório XVI e de Pio IX, e ainda hoje se faz silêncio interessado sobre ela! E quando alguém, repetindo os augustos ensinamentos destes Papas proféticos, grita que a Realeza é o melhor de todos os governos, e que o Sufrágio Universal, alma e condição da República, é uma burla, e que a Igreja Católica não pode ser compatível com a República, filha da Soberania Popular, negação da origem divina do Poder, e campo de cultura da Liberdade de crenças, ou seja do mais nefando dos sacrilégios – saltam-lhe ao caminho os inquietos e os presentes, a acusá-lo de herege.

Pois bem. Posso admiravelmente ser herege, ao lado de Pio VI, Pio VII, Gregório XVI e Pio IX!”

Alfredo Pimenta in A Igreja e os Regimes Políticos, 1942 (via Veritatis).